Dez lições que aprendi em dez anos de casada

Hoje, dia 30 de agosto de 2018, completo dez anos de casada.

 Bodas de estanho! Ou de zinco, depende da sua fonte na internet. Lembro como se fosse ontem do dia 30 de agosto de 2008. Era um Mac Dia Feliz (Sim. Eu tenho esse problema de lembrar de detalhes inúteis. Eu tinha um voucher para comer um big mac. Não comi.), tempinho bom, nem tão quente, nem tão frio, um dia gostoso e muito favorável para casar! Foi um dia inesquecível, sem dúvida nenhuma, e lembrar dele sempre me traz uma gostosa sensação de gratidão.

Refletindo sobre isso nos últimos dias, pensei em 10 lições que aprendi nesses meus 10 primeiros anos de casada. São elas:

  1. Preparar-se para o casamento é muito mais importante do que preparar o casamento

Você se lembra por quanto tempo pensou e planejou o dia do seu casamento? Talvez seja um dia para o qual você tenha investido muuuuito tempo pensando, pesquisando, fazendo orçamentos, imaginando, sonhando… e a realidade é que o dia do casamento passa num piscar de olhos, rápido demais. Tanto preparo, tanto investimento, tudo uma delícia… mas rápido demais. Por isso, acredito que idealizar o dia do casamento como o dia mais feliz da sua vida é um erro…

O que vem depois é o que deveria merecer, no mínimo, igual atenção. Preparar-se para viver o casamento e fazer dele a jornada mais feliz da sua vida. Preparar-se para ser casada! Buscar conselhos, orientação piedosa, ler bons livros, orar com seu namorado/noivo, conversar muuuuito… porque viver casado é muito gostoso, mas demanda investimento! Demanda esforço intencional em viver junto, dividir, ceder, e fazer tudo aquilo que não é natural ao nosso coração egoísta e orgulhoso.

Por isso, noivas e noivos que lerem esse post, planejem o grande dia com tudo o que quiserem, mas não se esqueçam de se prepararem e de colocarem em oração com muita seriedade o dia a dia que virá depois, porque é ele que vai definir o casamento quando os convidados forem embora, as flores murcharem, os docinhos acabarem e vocês devolverem o carrão antigo.

2.  Deus não criou o casamento para me fazer feliz

Sim!! Essa frase não é minha, é do Gary Thomas, autor espetacular que escreveu livros espetaculares sobre casamento. Deus não criou o casamento para nos fazer felizes… mas sim para nos fazer SANTOS. Enxergar o casamento sob essa perspectiva mexeu demais comigo, ehheeh… para o mundo, isso é loucura!!

Quando eu enxergo o casamento como algo que aponta para uma realidade eterna, isso muda tudo. Deus criou o casamento para espelhar a Sua glória e a beleza do Seu relacionamento de amor conosco. A felicidade é passageira! Deus quer a minha santidade, porque essa sim tem valor eterno. E não há melhor instituição do que o casamento para nos lapidar nesse sentido, não é

3. O compromisso sustenta o amor, e não o contrário

Mais uma frase que não é minha, mas que aprendi num vídeo de uma conversa incrível entre 3 grandes homens de Deus. O que sustenta o amor é a aliança. O compromisso que assumi diante de Deus e dos homens, de amar o meu marido até que a morte nos separe, faz com que eu me esforce por fazer esse relacionamento dar certo, e por isso, decido amá-lo.

Essa também é uma verdade que pode parecer insanidade total! Mas, quando eu penso o contrário, que o meu compromisso é sustentado pelo amor, a minha base é frágil… principalmente num mundo em que o “amor” tem definições tão volúveis e motivações tão egoístas.

4. Aprender a comunicar as expectativas é essencial

O ponto aqui é simples. FALE. Não espere que o outro adivinhe. FALE. Aprendizado para muitas décadas ainda. Como é importante a comunicação no casamento!!!

5. Perdoe e releve, perdoe e releve… e assim sucessivamente…

…tantas vezes quantas forem necessárias. O excesso de crítica mina qualquer relacionamento, especialmente o casamento. Ninguém gosta de ser criticado ou mesmo confrontado o tempo todo. Amar o cônjuge envolve um equilíbrio entre saber o que relevar em amor, e o que confrontar em humildade. E também envolve a decisão deliberada de oferecer perdão ainda que o outro não peça.

6. Os filhos são um presente de Deus, mas o meu relacionamento com meu cônjuge é prioridade

Outra coisa que parece loucura nessa nossa sociedade, cada vez mais “filhocêntrica”. Não poderei oferecer o melhor para os meus filhos se eu inverter a ordem de prioridades que Deus me designou em Sua Palavra: 1) Deus, 2) Cônjuge, 3) Filhos.

É com meu cônjuge que Deus me tornou uma só carne, não com meus filhos. Sim, filhos são bênção, amores das nossas vidas! Queremos o melhor da vida para eles, e justamente por isso, o melhor que posso fazer por eles é cultivar em minha casa um ambiente em que eles veem Deus em primeiro lugar, e um relacionamento íntimo de amor e respeito entre o pai e a mãe deles.

Certamente, haverão anos em que o cuidado com as crianças pequenas é tão incrivelmente intenso que parece não ser possível dar a mesma atenção de antes ao marido. Sem dúvida! Mas isso não deve significar mudança de prioridade, e são nesses anos enlouquecidos de criar filhos pequenos que precisamos ser intencionais em perseguir um relacionamento de proximidade, companheirismo, comunhão e romance com nossos cônjuges!

Os filhos vão, o marido fica. Essa é a verdade bíblica. A gente é que foi contaminada pela versão contrária.

7. Conflitos são inevitáveis… brigar é opcional

Não entre no casamento naquela onda apaixonada de “ah, mas a gente se dá tão bem, a gente nunca vai brigar… a gente é igual”… Sério, não faça isso.

Porque a realidade é que a gente tem conflito. Muitos!!! E se você viver a ilusão de que o que define um bom relacionamento é a ausência de divergências, ou de conflitos, vai quebrar a cara muito cedo, porque eles são inevitáveis, e existem em larga escala mesmo nos casamentos mais cor de rosa que você vê nas redes sociais (daqueles casais fofos e melosos que usam #gutodadani, #danidoguto sabe? Oh céus. Se um dia virem uma foto minha usando #nádolu, me internem. Obrigada. Mas, nada contra quem usa e tals)

Ao invés disso, invista em cultivar um espírito manso, que fala a verdade em amor, que comunica as expectativas, que reconhece quando pedir perdão, que sabe diferenciar a ira justa da ira pecaminosa, que ataca o problema e não a pessoa (Alô, ABCB!!! Partiu Módulo 03 2019!)…

Que tal isso? Ao invés de tentar evitar conflito a todo custo, busque evitar as brigas! A falta de controle, as palavras ásperas, a manipulação, cara fechada… Exercitem-se em resolver conflitos biblicamente. Ah, eu adoraria dizer que já tenho isso dominado, hahaha! É uma luta diária, mas Deus pode e quer nos ajudar.

8. Celebre as diferenças

Eu sou bagunceira para muitas coisas, organizada ao máximo em alguns poucos itens. Gosto de dormir tarde, acordar tarde. Não consigo resolver quase nada que envolva trabalhos manuais, minha habilidade nesse quesito é nula, para não dizer que é negativa. Meu hobby é ler e escrever, isso me relaxa absurdamente. Leio muito com as crianças. Sou extrovertida, gosto de falar, falo alto, se prenderem minhas mãos minha comunicação fica abalada. Adoro um seriado água com açúcar. Gosto de frio, não sou garota de praia, amo comer doce e não tenho nenhum problema em dormir com a luz acesa… aliás, prefiro.

O Luiz é MUITO organizado. Organizado nível hard, do tipo que percebe quando alguém abre a sua gaveta porque as coisas lá dentro “se mexeram”. Tudo dele é mais arrumado. Quem deixa toalha molhada em cima da cama sou eu. Ele acorda cedo, gosta de dormir cedo. Conserta toda e qualquer coisa que aparecer com problema. Pinta a casa se precisar, abre o ferro de passar roupa, desentope pia, pendura quadro, monta móveis e faz as lições de casa de artes com as crianças. O hobby do Luiz é viver outdoor: sol, praia, campo, montanha, qualquer tipo de esporte, qualquer tipo de atividade externa. É mais reservado, de poucas (e boas) palavras, pode parecer tímido no começo mas depois vai se soltando. Não gosta de filmes que tenham menos de 250 tiros. Prefere o calor, adora um churrasco tem todo problema em dormir com a luz acesa.

Deus nos uniu. Celebre as diferenças! Por causa delas, nós vivemos em constante crescimento e adaptação. Crescemos muito juntos. Não deixamos de ser quem somos, mas mudamos um pelo outro! Experimentamos coisas novas e diferentes de tudo o que já havíamos feito na vida. Ele me levou para surfar. Nós fizemos boas trilhas. Corri a São Silvestre com ele do meu lado carregando água. Ele está tomando gosto pela leitura. Já está dormindo a noite inteira com a luz do corredor acesa. Estamos assistindo Heartland, e eu estou aprendendo sobre os heróis da Marvel!!! Hahaha… e hoje eu sou fã de carteirinha dos churrascos do Luiz, e nós dois gostamos de colocar leite condensado em tudo.

Quando a gente desencana de tentar fazer com que o outro seja exatamente como você é (como se a gente fosse uma beleza), e começa a aproveitar as diferenças para crescer, todo mundo ganha.

9. Rir é fundamental

Sempre que possível. De tudo quanto for possível. Não estou aqui defendendo uma vida abobada, ou alheia às reais e inevitáveis dificuldades e problemas da vida. Entretanto, tenho visto cada vez mais que a capacidade de rir e se divertir é um tesouro valioso para enfrentar o cotidiano.

10. Ninguém jamais terá um armário de tupperware permanentemente organizado

Hehehe… como rir é fundamental, acabei não resistindo. Quem sabe na próxima década eu aprenda que é possível?? Mas, até agora, minha gente, não vislumbro solução para o problema que já presenciava desde o lar dos meus antepassados hahaha….

Comecei minha vida de casada seriamente empenhada em manter o meu armário de tupperware organizado. De início, pensei que o problema era com as tampas. Troquei todas de lugar e resolveu por um tempo, mas aí voltou o caos. Resolvi então colocar um dentro do outro, para resolver de vez o problema… e resolve, até você precisar do quinto pote do montinho. Aí você tira todos de dentro para pegar aquele específico, e eles simplesmente começam a desabar,  o caos se instala novamente, a não ser que você os reorganize, já que eles não voltam à posição original após a manipulação.

Então, pessoal, depois de alguns meses, adotei o pensamento de que “o importante é o armário fechar”, o que significa que em alguns momentos a única solução consiste em arremessar um ou mais potes dentro do armário e fechar correndo…. e torcer para que a próxima pessoa a abrir não seja você. Mas quase sempre é… e aí, cabe a tarefa de recolher um a um do chão e buscar uma nova organização para que eles permaneçam ali, empilhados, equilibrados, sem cair em cima de você. Mais alguém?

Enfim. Espero trazer uma solução no meu post dos 20 anos. Por ora, trago esse décimo item como vivência prática de que nem tudo será exatamente como você imaginava… e que é plenamente plausível viver contente apesar disso… e inclusive rir disso!

couple.jpg

Dez anos… é uma década. É muita coisa. Mas espero em Deus que ainda falte pelo menos outras quatro! Grandes coisas o Senhor fez por nós, e por isso estamos alegres. A minha oração é que Ele me dê mais algumas décadas de lições aprendidas, e desse companheirismo gostoso que tenho tido com o Luiz desde o dia do nosso casamento. Não foram anos cor-de-rosa, só de coisas boas. Temos nossos perrengues, nossos conflitos, nossos desafios. Mas Deus é maior!! E Ele tem nos aperfeiçoado, nos lapidado, e nos mostrado o quanto é gostosa a vida quando buscamos juntos viver o mesmo propósito!

“O meu Deus me deu do melhor, me fez muito mais e foi mais além!”

Abraços,

Naná

4 comentários em “Dez lições que aprendi em dez anos de casada

  1. Querida Naná, parabéns pelos 10 anos de casamento. Que Deus continue os abençoando como casal e que juntos glorifiquem a Deus.Beijo! Rose (IBMaranata)

    1. Tenho três anos de casadas, já aprendi muitas dessas verdades, mas ainda teimo em “esquecer” delas de vez em quando. Haha

      Algumas eu sinto que foram ficando mais fáceis de praticar com o passar do tempo e a misericórdia de Deus, mas a carne tá sempre aí pra gente cair de novo e ter que relembrar.

      P.S.: segundo texto que leio do blog e estou adorando! Sua escrita flui e prende muito. Parabéns

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s