Carta à Ester em seu sétimo aniversário

Oi, filha! SETE anos! Fiquei alguns aniversários sem te escrever uma cartinha da forma como eu gostaria, mas esse ano retomei a tradição, que espero manter por muito tempo.

Que ano foi esse, não? Quantas conquistas, quantas novas experiências, e quantas pérolas?? Sabe, sempre soube que essa fase da sua alfabetização seria algo com o qual eu me deliciaria muito. E você começou lá com os seus cinco anos, mas agora nesse último ano deu um salto e tanto, e hoje me diverte e me impressiona com suas tiradas, seu senso de humor, sua perspicácia para pegar algumas coisas e sua sensibilidade.

Para mim, é um prazer imenso vê-la se aventurar no mundo das letras, ler em voz alta, aprender e inventar histórias, e registrar com seus desenhos as cenas que marcam a sua vida. Sua perspectiva da vida é uma delícia de ver. Ela me ensina muito nos pequenos detalhes do dia! Quer ver?

Com você, aprendo diariamente sobre contentamento e sobre o quanto um dia feliz pode depender de tão pouca coisa: Mãe, hoje é o dia mais feliz da minha vida, eu vou andar de ônibus!

Também fui lembrada por você de que compaixão e solidariedade não são coisas que se estendem meramente a pessoas conhecidas ou próximas de nós: Mãe, vamos orar por aquela pessoa que estava dentro da ambulância que passou pela gente, para que ela sare logo? A gente não sabe o nome, mas nem precisa, Deus deve saber né?

Já aprendi sobre praticidade: Mãe, olha o tamanho daquela casa, que imensa! Quanta janela! Imagina o trabalhão que dá para limpar tudo isso de janela?

Desenvolvi habilidades de argumentação: Mãe, não te parece estranho que eu, uma mulher de seis anos, que já perdeu oito dentes, ainda não possa usar esmalte escuro?

Percebi que as definições de céu podem ser muito peculiares: Mãe, se a Bíblia diz que o céu é um lugar maravilhoso e muito feliz, isso quer dizer que lá só tem piscina rasa? (aliás, agora já pode ter piscina funda, né? Perdeu o medo finalmente, e agora nada que é uma beleza!)

Também tomei algumas dicas de moda com você: Mãe, você devia usar mais salto. Sapatilha é coisa de criança. Se eu fosse adulta igual você eu nunca ia usar sapatilha, só salto, salto, salto. Onde você vai toda de branco, é sério que você vai sair assim?? (dia de estágio, filha… dia de estágio.)

Enfim, apenas alguns exemplos de como é conviver com você, adorável figurinha que sempre nos diverte, emociona e ensina. Mas, pensando no que eu poderia dizer como mensagem especial nesse seu sétimo aniversário, numa fase da sua vida em que você agora vai deixando claro suas preferências e etc., pensei em te contar a história de um jardineiro.

girl-1469749_1920

Um dia, um jardineiro foi chamado pelo dono de uma casa para construir o seu jardim. Eles se encontraram, o proprietário mostrou a sua casa, explicou em linhas gerais o que pretendia e o quanto estava disposto a pagar. Deixou claro qual era o resultado: queria um jardim deslumbrante, lindo, e algo assim que as pessoas olhassem e falassem: Uau, esse jardim é a cara do dono!

Pois bem. No dia seguinte, chega o jardineiro para trabalhar e, para a sua surpresa, o dono não estava lá. Na verdade, o dono tinha viajado. Ficaria três meses fora. E o jardineiro deveria construir o jardim nesse período, sem receber mais nenhuma orientação direta dele. Nada. Nem telefonema,  whatsapp, nada. Agora era com ele.

O jardineiro não acreditou!!! Chegou no quintal, olhou para um lado, olhou para o outro, não sabia nem por onde começar. O que eu planto aqui? Será que ele gosta de flores mais robustas ou mais delicadas? E as cores? Azuis, amarelas, laranjas, rosas… são tantas possibilidades! Tantas opções! Qual caminho eu devo escolher? O que eu faço agora? Por que esse senhor não me deixou nenhuma explicação sobre o que fazer? Como eu decido isso sozinho?

Quase que apavorado, o jardineiro sentou-se no banco da varanda da casa e, ali, encontrou um pacote com um bilhete. Era para ele! Quando abriu, viu o que era: MANUAL COMPLETO DE JARDINAGEM. Uau! Era um guia completo, tinha tudo! O que plantar em cada tipo de solo, em cada tipo de clima e em cada estação; quais os materiais mais adequados para cultivo; como regar, como manter, quais plantas disputavam com quais e quais poderiam ser plantadas no mesmo solo sem que nenhuma saísse prejudicada, enfim, tudo o que um bom jardineiro precisaria saber para construir o seu jardim.

No bilhete, a dedicatória: “Querido amigo, esse livro tem tudo o que você precisa saber para construir o meu jardim. Se você seguir os princípios que estão nele, não importa se as flores serão brancas ou roxas, se as árvores serão esguias ou de folhagem farta: se você seguir esses princípios, eu sei que o resultado me agradará. Bom trabalho!”

E assim, esse jardineiro, com o seu manual em mãos, estudou-o com afinco, entendeu o que era essencial e inegociável, e partiu com sabedoria, liberdade e criatividade para construir o jardim mais bonito que ele já havia feito.

Sabe por que essa história? Filha, porque eu creio que você tem um jardim à sua frente. Você tem uma vida para traçar. Uma vidinha inteira de possibilidades, escolhas e caminhos diferentes.

Essa vida foi dada a você por Deus, o proprietário. E Ele quer uma vida bonita!! Uma que o agrade, pois Ele comprou você por um preço muito alto, lembra que custou o Filho dEle na cruz? Pois é, o investimento foi mesmo muito alto. E isso às vezes pode deixar a gente meio apavorada né, igual o jardineiro?!?! Como fazer isso?? Ele não me disse exatamente como! Como eu vou fazer exatamente o que Ele quer que eu faça? Eu não sei se ele quer que eu toque piano ou violão, se quer que eu seja dentista ou professora quando crescer, se eu devo gostar mais de matemática do que de português, se a minha melhor amiga tem que ser a Fulana ou a Beltrana… como eu faço?

Pois lembre-se sempre que Deus, filha, também deixou um Manual Completo para nós. Ele deixou a Bíblia! Ela é um guia completo: tem tudo! Como escolher suas amizades, como ser uma boa amiga, como ser boa filha, boa cidadã, como cuidar dos animais (pois é!), como tratar os professores, quais coisas eu posso fazer e quais eu preciso evitar fazer, enfim, tudo o que é essencial para que uma pessoa construa e trilhe a sua vida.

Se você seguir os princípios desse Manual, filhota, não importa se você vai gostar mais de tocar piano ou de ajudar as pessoas a encontrarem seus lugares na igreja, se você vai querer ser professora, bombeira, veterinária ou maquiadora (policial já passou a fase!), se você vai ser devoradora de livros como eu ou chegada nos esportes como o papai: se você seguir os princípios desse livro, o resultado final será um lindo jardim para a glória de Deus.

E essa é minha oração por você, Ester. Que você, com o seu manual em mãos, e agora sabendo ler com maestria, estude-o com afinco, entenda cada dia mais o que é essencial e inegociável, e viva com sabedoria, liberdade e criatividade para agradar a Deus! Oro também que Deus me dê essa clareza a cada dia, para que eu não queira que o seu jardim seja uma réplica fiel do meu! Que você seja você, e eu aprenda a admirá-la e admirar a Deus por sua obra na sua vida, todos os dias.

Amo você, jardineira, e quero estar presente e perto de você a cada mudinha que você plantar, cada matinho que tiver que ser arrancado para que esse jardim cresça, floresça, e que eu tenha a alegria de olhar para todo esse processo e dizer: Uau! Esse jardim está ficando a cara do Dono.

Um beijo,

Mamãe

*essa história do jardim é uma adaptação livre e simplificada de uma história contida no livro Step by Step: divine guidance for ordinary christians, de James C. Petty. Na minha modesta opinião, um dos melhores livros sobre “fazer a vontade de Deus”; até onde eu saiba, ainda não traduzido para o português.

2 comentários em “Carta à Ester em seu sétimo aniversário

  1. Os filhos sao um presente ,que nos ensina a cada dia, e uma delicia viver cada passo a ser dado junto com eles, como sempre lindas palavras Nana.
    Ester uma pérola, um doce de menina,Parabéns ,que seu caminho seja regado de muitos galhos floridos.
    Deus abençoe bjs

  2. Que lindo! Obrigada por compartilhar com a gente cartas como essas q nos inspiram a conduzir nossos filhos ( que ainda não tenho, por enquanto!) ao Senhor e ver que o temor pode estar presente nos coraçãozinhos desde cedo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s