Eu li: O que Deus diz sobre as mulheres

“Por que presumimos que uma diferença de papéis implicaria numa diferença de valores?” – Essa frase me pegou de jeito enquanto eu lia esse livro.

KN

A autora, Kathleen Nielson, o escreveu com o objetivo de abordar questões difíceis e bastante delicadas que temos ouvido com frequência há tempos dentro da igreja. O título original deixa isso mais evidente: Women and God – hard questions, beautiful truth (Mulheres e Deus – perguntas difíceis, lindas verdades). Segue a resenha, com o link para quem quiser adquirir:

Título: O que Deus diz sobre as mulheres – Feminilidade x Feminismo

Autora: Kathleen Nielson – autora e palestrante, foi a convidada internacional da Conferência Fiel Mulheres 2019. Durante muito tempo, atuou como responsável pelos estudos e assuntos femininos da The Gospel Coalition, e hoje ainda acompanha o ministério, mas um pouco mais à distância, enquanto se dedica, junto com o marido, na implantação de escolas cristãs e igrejas na Indonésia. Moram na região de Chicago, tem filhos e netas. Além desse livro, também é a organizadora do maravilhoso livro “Ministério de mulheres: amando e servindo a igreja por meio da Palavra”, junto com a Gloria Furman, também publicado pela Fiel. Esse estou terminando de ler ainda, deve vir resenha em breve, porque é mais um livro espetacular.

Editora: Fiel

Páginas: 249

Ano: 2018

Sobre o livro: A leitura é densa, porque a Katheen Nielson é muito, muito profunda. Por isso, esqueça aquele tipo de leitura livre, leve e solta, que dá para fazer enquanto assiste os filhos na natação ao mesmo tempo. Sem chance. Ela chega chegando mesmo, com Bíblia na cabeça, análise profunda e detalhista de passagens bíblicas, e implicações práticas extremamente valiosas. Mas, isso é um elogio, porque essa profundidade com que ela trata as questões desse livro era algo, na minha opinião, mais do que urgente e necessário.

Dividido em 11 capítulos, ela primeiro traça um panorama bíblico sobre a mulher desde a criação, enfatizando a realidade de que ambos, homens e mulheres, foram criados à imagem e semelhança de Deus. Também destaca o quanto a distinção do gênero é algo a ser considerado como parte disso, além da clara conclusão que podemos tirar de que homens e mulheres são inequivocamente iguais em valor diante de Deus.

Depois, ela começa a entrar nos assuntos “tenebrosos”: aborda como o pecado destruiu o plano perfeito de Deus tanto para homens como para mulheres e, no capítulo 4, com uma sabedoria e conhecimento incríveis, ela entra nos lugares mais sombrios do antigo testamento (nome do capítulo, inclusive), com suas leis e punições aparentemente horripilantes sobre as mulheres. Ela literalmente “disseca” essas passagens, com o contexto e interpretação que revelam, como toda a Bíblia, um Deus zeloso, protetor e Soberano.

O capítulo 5, na minha opinião, é o clímax do livro: Mulheres Fortes. Nesse capítulo, ela expõe a história de Débora para mostrar o lugar que as mulheres submissas a Deus podem ocupar no Seu plano maravilhoso. Ah, esse sim é um empoderamento de respeito! Que belo capítulo, que bela história de uma mulher forte, submissa (é! Tudo junto), inteligente e sábia.

A partir daí, os próximos 6 capítulos vão tratar de questões específicas: sexo, corpo feminino, casamento, ministério na igreja, etc. Todas elas já foram tratadas em outros livros, mas a base cristocêntrica sobre a qual ela fundamenta suas posições eu ainda não tinha visto de forma tão evidente em nenhum outro.

Um pequeno trecho, do meu capítulo favorito (negrito meu):

“Podemos nos fixar tanto nas distinções de homem e mulher, que elas se cristalizam em categorias que separam, em vez de complementar; e que confinam, em vez de promover crescimento à imagem de Deus. Inúmeras mulheres se destacam nas Escrituras e nos ajudam a evitar esses extremos. Débora, do livro de Juízes, é uma delas. Débora não se encaixa em algumas categorias às vezes associadas a mulheres submissas à palavra e à ordem de Deus. Veremos, porém, que ela abraça a palavra e a ordem de Deus. De fato, a grande ideia de Juízes 4 e 5 não é a grandeza de uma mulher, mas a grandeza do Senhor Deus, a quem ela serve. Débora oferece um exemplo imensamente encorajador de uma mulher forte que serve ao Senhor, que respeita e exorta os líderes masculinos ao seu redor, e que, de todo o coração, abraça a obra que Deus coloca diante dela.

Débora nos desafia a considerar que a existência de uma criação ordenada de homem e mulher, feitos igualmente segundo a imagem de Deus, deixa mais espaço para o crescimento e o fortalecimento de homens e mulhere do que a maioria de nós tem o hábito de imaginar. Às vezes, Débora é ignorada ou até mesmo preocupam-se demais com ela – principalmente aqueles que querem afirmar papéis de ordem masculina e feminina no casamento e na igreja. Por outro lado, às vezes Débora é exibida por aqueles que desejam afirmar a igualdade dos papéis e o valor essencial de homens e mulheres como portadores da imagem de Deus. Nenhuma dessas abordagens resulta em algo bom”.

Esse livro, embora seja um livro feminino, não se encaixa naquele padrão da “mulher calada que faz torta de maçã”, sabe? Eu sei que você sabe. Não me entenda mal: eu amo cozinhar e não resisto a uma torta de maçã (sobre o calada, não vou comentar). Só acho que, quando as mulheres entenderem realmente o plano de Deus para elas, vão deixar de lutar contra os dois esterótipos mais comuns que vemos hoje: a doida empoderada que não respeita nada nem ninguém, e a doce, nula e pseudo-serena mulher que exala uma fragilidade equivocada, longe de ser a que Deus determinou ( = torta de maçã).

Há um lugar, no centro da vontade de Deus, em que vulnerabilidade, sabedoria, piedade, coragem, delicadeza, força e submissão não apenas coexistem, mas moldam a vida da mulher que O ama e teme, acima de todos os deuses. A Bíblia traz exemplos de mulheres assim, que nos inspiram sobremaneira. Em Cristo, ela é uma mulher possível, e é como ela que eu desejo ser. Ela aponta para Deus!

Esse livro me ajudou a entender um pouco mais sobre o que Deus diz sobre essas mulheres, mas, ainda mais importante, me fez ver ainda mais sobre o próprio Deus que nos criou, mulheres, e a adorá-lo ainda mais por quem Ele é!

 

4 comentários em “Eu li: O que Deus diz sobre as mulheres

  1. Olá, gostei muito da sua resenha, parabéns! Quero ler esse livro.
    E amei o que disse sobre a torta de maça hahahahaha, concordo! Hoje em dia está tudo uma confusão: ou você é feminista ou é uma sonsa… indo mais além que a torta de maça.

    Que Deus nos ajude e creio que a resposta está no seu paragrafo final: conhecer mais sobre Deus.

    Abs.

    1. Oi Kelly, que bom que gostou!!! Recomendo mesmo a leitura, acho que vai gostar! Escreve no seu blog o que achou depois! Quero ler 😊😊
      Eu sabia, haha, no fim todo mundo entende o que essa torta significa 😂 Longe de mim atacar os dotes culinários! Hehehe
      Abraços!

  2. Oi Naná! Tudo bem?

    Você já fez o estudo do livro ” Mulher , sua verdadeira feminilidade – design divino “? De Nancy DeMoss e Mary Kassian ???? Segue exatamente essa linha! São 8 semanas de estudo, um tópico por semana! Estou na sexta semana. Se não fez, fica a dica 😉😄

    Beijo Carol

    1. Oi Carol!!!
      Eu conheço o livro e muita gente que já fez ou está fazendo… mas eu nunca fiz!!!
      Gosto demaisssss da Mary Kassian!!! Me conte o que achou no final!
      Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s